1960: a nova década da beleza


No mundo da moda e da beleza é normal revivermos tendências estéticas de outros tempos. Uma hora, os anos 1920 são tendência; outra hora, a década de 1980 é revisitada. Sabe-se que, por enquanto, designers, estilistas, cabeleireiros e maquiadores têm buscado elementos na década de 1990 para compor novos modismos. Entretanto, um outro olhar sobre o cabelo está surgindo e ele está mirando nos volumosos penteados dos anos 1960.

Retomando um espaço mais lúdico na vida das mulheres contemporâneas, os penteados e cabelos da década de 1960 inspiram topetes altos, rabos de cavalo, franjas e coques volumosos com formas geométricas, ao estilo bouffant. O uso do laquê, que na época era irrestrito e permitiu abandonar a estética comportada dos anos 1950, evocava a mulher que ansiava por extravagância e por liberdade, tal como a mulher de agora, que vive o auge das discussões sobre seu empoderamento.

Irrestritas também eram as escovas daquele tempo. Bem modeladas e com pontas viradas para fora, as escovas ganhavam vida com volumes sempre geométricos e, em especial, nos cabelos mais curtos. Os curtos, aliás, eram finalizados com franjas bem desenhadas e com pontas arredondas e dramáticas, que lembravam arabescos.

Para as mulheres de madeixas longas, havia – e há – um penteado em especial: dividindo-se a parte frontal em duas tiras laterais e finalizando a parte de trás da cabeça com um grande e alto coque. Temos, então, o penteado ‘‘meio preso e meio solto’’ característico da época.

Recentemente (em 29 de agosto), tal penteado foi adotado pela estrela do pop Ariana Grande, que, em seu novo clipe com Nicki Minaj, Side to Side, apresenta uma releitura dos anos 1960 mixada com cenas de academia e do mundo fitness.

Ariana Grande em Side to Side.

O estilo criado originalmente por Brigitte Bardot e revistado inúmeras vezes por Amy Winehouse em suas performances, influenciou incontáveis nomes do entretenimento. A citar, Iggy Azalea e seu penteado bouffant, no clipe Problems, ao lado de Ariana Grande. Ariana, aliás, é uma das celebridades que, declaradamente, adotam o uso de Mega Hair.

Iggy Azalea em Problems.

Os acessórios dos anos 1960 também voltaram para montar a cena atual: faixas, tiaras, laços, laçarotes, headbands e fitas decoradas ganham a vez em composições modernas e ousadas. Mas, vale lembrar o cuidado no uso para que esses acessórios não infantilizem a aparência e criem uma figura pueril e frágil.

Enfim, no revistar das décadas e dos estilos, a moda e a beleza bebem novamente das fontes estéticas que emplacaram fortes sentimentos de mudança na história da humanidade. Os anseios pela ruptura do comportamento padrão que vieram com a década de 1960 figuram, outra vez, para nos relembrar da liberdade que podemos construir. Evocamos, assim, mais do que beleza, evocamos conteúdo.

Imagens: quadro superior esquerdo e quadro inferior direito: acervo próprio; quadro superior direito: glambergirlblog.com; gifs Ariana Grande: mtv.co.uk; gifs Iggy Azalea: giphy.com.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo