Agora é que são eles


O Brasil está entre os três maiores mercados consumidores de beleza masculina no mundo, atrás apenas de Estados Unidos e Japão. A Associação Brasileira de Clínicas e Spas revela que, atualmente, os homens representam mais de 30% do movimento no setor e são responsáveis por injetar bilhões na economia nacional. Em três passos, vamos entender por qual motivo “agora é que são eles.”

O primeiro passo é resolver um equívoco: engana-se quem acredita que o público masculino está interessado apenas em produtos de barbear, gel para o cabelo e xampu anticaspa. É crescente e galopante o consumo de cremes antirrugas, loções, filtros solares, cremes antioleosidade, hidratantes e produtos de depilação. Nos serviços há outra revolução ocorrendo. Se antes apenas barba, cabelo e bigode reinavam; agora falamos em cortes estilizados, tinturas, pomadas, tratamentos, depilações, massagens, drenagens e design de sobrancelhas. O homem moderno, definitivamente, “não quer fazer feio.”

O segundo passo é atentarmos aos números desse mercado. A expressividade dos cuidados pessoais do homem brasileiro deve continuar crescendo 7,1% ao ano até 2019, segundo a empresa de pesquisas Euromonitor Internacional. A empresa, que analisa o comportamento de 80 países, prevê que chegaremos em 2019 como o maior mercado do mundo na categoria. Também foi de autoria da Euromonitor o estudo que revelou o crescimento do setor de 2009 até 2014: um aumento de reles 99,4%.

O terceiro passo é entendermos que salões de beleza não são de uso exclusivo do público feminino – e os homens estão tomando consciência disto. Se até outrora os clientes se reservavam no sentido de não solicitarem serviços, pois a presença de mulheres no mesmo ambiente os intimidava, os homens agora não mais se envergonham de sua vaidade. E estão certos.

Assim, a hora dos homens nas cadeiras de salões de beleza e nas macas de clínicas de estética promete não ser uma breve passagem. Se as projeções para 2019 se confirmarem, serão eles – carecas, cabeludos, barbudos ou não, loiros, morenos, ruivos, e há tantos e tantos a serem citados – que levarão o país ao topo da cadeia de consumo de beleza masculina no mundo. Em definitivo, homem brasileiro essa é a sua vez!

Fonte da imagem: “Selected by freepik”

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags